19 de dezembro de 2008

Planos para o ano novo?


O fim do ano chegou. Enfim. Ou não. Menos um ano de faculdade, porém um ano mais perto da temível e assombrosa procura de emprego. Pensando nesse temor é que eu irei estudar até o momento onde seja obrigada a arranjar trabalho. (Meus pais que não leiam isso! haha) Ou seja, que venha Mestrado, Doutorado, O-diabo-a-quatro. Pode ser até exagero de minha inexperiente pessoa. Mas vendo alguns amigos na reta final vejo o desespero e o stress em que eles se encontram. Acho que o que assusta é o desconhecido. Quando tu estás na escola, pensas que tudo vai ficar resolvido caso consiga entrar numa universidade, mas é só quando começas a cursar uma, ou terminar, que tu descobres que não é bem assim. Só estava começando suas preocupações. Pelo menos para uma pessoa ansiosa (doida) feito eu.

Deixando de lado minhas preocupações acadêmicas (exageradas ou não), falemos de coisas mais descontraídas. Por exemplo? Férias. Recesso de duas semanas, no meu caso. O que você caro leitor, ou leitora, fará nesse fim-de-ano? Praias, festas? Eu vou ficar o máximo que eu puder longe de letras e principalmente de números. Apesar de não ser a hora da síndrome do fim-de-semestre dar as caras é desse jeito que estou, de saco cheio de estudar. Mas também desde que comecei a facul que não tenho férias dignas, exceto a greve que teve, 15 dias por semestre não dá nem para um começo. Tomara que chegue logo julho, pois o certo é que provavelmente começarei a ter semestres iguais aos do resto do mundo. Isso se antes de julho não vier outra coisa, uma nova greve. ¬¬' . Olha ai, eu de novo com esses assuntos. Sai de mim, pensamentos-relacionados-a-universidade, que eu estou de 'férias'.

Voltando às festas de fim-de-ano mais uma vez, vou dizer o que farei no reveillon. Ficar sentada na varanda da casa da minha avó vendo as vacas passarem e escutar os fogos. Por fogos me entenda 3 tiros de espingarda (ou coisa parecida) do vizinho. Aniversário da velhinha, e não querendo abandoná-la, como não se importaram de fazer a maioria dos outros netos, todo ano lá estão eu e minha irmã (Flavih) no interior dos interiores. Nós e outros primos que ainda não têm idade para decidir nada além da cor dos brinquedos. E agora você, me supera nas opções de ano-novo? Acho que não... =D

Lendo o post da Flavih logo abaixo, vi como também exagerei (se é que infame declaração é possível) nas leituras de literaturas adversas a minha área de estudo, Engenharia Civil. Que o digam minhas notas. Outra coisa que exagerei foi na compra de livros, minha estante está cheia e meus bolsos vazios.


P.S.: Relendo o que escrevi acima vi como estou enjoada e reclamona (neologismo, presente) hoje. Falei mal da faculdade, da família, faltou só os amigos. Mas tem problema não no próximo eu falo.. hehe

3 Neurônios comentaram.:

wendell penedo disse...

uma vida boa se faz de estantes cheias e bolsos vazios (:

Mariana Valente disse...

Ah menina, eu termnei a faculdade no fim do ano passado e pensava também em emendar com mestrado, doutorado, tudo junto porque não tinha muita segurança pra omeçar a trabalhar... Mas todos saem assim da faculdade, e por incrível que pareça nos surpreendemos com o que sabemos fazer lá fora!!! Demorei seis meses mas arrumei um emprego bom, ufa! Hehehehehehehhe

Geralmente fim de ano é divertido quando se viaja com os amigos ou pelo menos uma festinha... Quando passamos com a família é aquela coisa lenga lenga de todo santo fim de ano, as mesmas tias, os mesmos apertões de bochecha e a investigação sobre sua vida!!! Eu passo longeeee, ahauahauuahau

bom domingo pra vcs e quero agradecer a Flavih pela visita!!! Pra vc ver que aquela história tava parecendo novela né??? Quem sabe em março as coisas melhoram
Beijoooooooos

Cesar Oliveira disse...

Flavia

Gosto deste tom que se expoe no blog. O cuidado com que se olha. E bota logo pra fora tudo que depois só melhora...rsss

Mt bom " te conhecer!