25 de agosto de 2009

Vagas Deliberações


Atentei-me a pouco sobre como as coisas boas realizadas são na maioria dos casos desprezadas, ou não notadas. Mas cometa um erro para você ver. Trezentos dedos, que estavam na espreita, na mesma hora caem na tua direção. Pelo jeito errar não é mais uma opção humana. (Desabafo. Ufa!...) :[

Coisa (nada) parecida acontece com histórias felizes. Livros, digo. Boa parte dos livros bons que já li, são de histórias muito tristes. Quando eu li A Cidade do Sol do Khaled Hosseini, por exemplo, quase morri de chorar. Acontece tanta desgraça com as protagonistas, que parava de ler um pouco porque já não agüentava ver (ler) tanto sofrimento. E ainda mais por saber que aquilo podia ser uma ficção, porém tinha nuances, muito fortes, da realidade. Mas aquilo me atraia de tal forma que eu voltava logo para terminar mais um capítulo. Os finais tristes (quase) nunca me decepcionam. Já os finais felizes... Imagino que para um autor deve ser mais difícil escrever finais felizes, correm o risco de caírem na lista do ‘apenas mais um happy ending’. Todo mundo já deve ter lido aquele livro ótimo que quando chegou na página final você se pega procurando por uma continuação e pensando: ‘Só isso? Vai acabar assim?’

O problema talvez seja porque temos, ou só eu tenho, uma predileção macabra, admito, pela tristeza. Não o sofrer propriamente dito, disso ninguém gosta, mas a emoção que vem embutida nele. Na correria não sobra tempo nem para SENTIR. Então em vez por outra fica aquela coisa presa dentro da gente, sem poder sair. É nessa hora que assistir um filme triste, ou um livro, ajuda a gente a colocar isso para fora. O fato de essa fase colidir com a da TPM é pura coincidência. Juro.

Maldita TPM que me deixa triste, ou querendo ficar triste, ou com raiva porque estou triste sem motivo. Que me faz chorar com o jornal, com a novela, com o filme, com o livro, com a propaganda. Que me faz ficar zangada e explodir até com o vento. É uma loucura completa.

16 Neurônios comentaram.:

Eloisa disse...

Ja leu Cem Anos de Solidao?! Estou querendo MUITO ler esse livro. :) Atualmente, leio O Amor nos tempos do Colera.

Nao sei se foi a Cris, se foi Andrea ou se foi a Flavia (!) ou se foram as tres. Otimo gosto para leitura.

beijo

Fernanda disse...

senti tudo isso que vc descreve quando li os sofrimentos do jovem wether...um final tão triste que chorei,talvez os finais tristes ficam mais na memoria.

Daniel Savio disse...

Bem, é meio complexo, pois as vezes preferimos finais tristes para ver que a nossa vida é ainda melhor do que imaginamos...

Mas cada pessoa tem de saber lidar com a tristeza sem deixar que a tristeza a consuma.

Fiquem com Deus, menina Cris e meninas.
Um abraço.

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

Eu confesso que também tenho esse gostinho por finais ou momentos tristes... eles parecem ser menos clichês! Rs'

Vocês se "divertem" com a TPM né? (Tá, parei)

Beijo Doce!

Keel Diniz disse...

TPM?? =°
Tah! mas seja lá oq eu esteja sentindo, acho que a maioria das pessoas se sente dessa maneira quando chegam a um momentode pura reflexão.. Você soube descrever bem isso.. ^^

:*

Luan Fernando disse...

Eu esofro muito com TPM, nos homens somos os que mais tem que ter paciencia com mulheres nessas epocas.

Rê :) disse...

Ai que lindo esse post!!! Adorei!!! bjos!

Desi disse...

oi gurias :)
vim agradecer a visita da Flavih e adorei o comentário. Gostei do blog, é pessoal mas consegue interagir com o pessoa, que passa por aqui tbm ^^

Concordo com o desabafo, isso é real, principalmente em relacionamentos. E sobre o livro, gosto dos que me fazem chorar, mas eu cmecei a ler Cidade de sol e achei chato pra caramba :/ juro que tentei, mas não consegui seguir adiante. Vai de cada um..

bjos!

Letícia disse...

tem livroos que sou apaixonada e que são tristes , seus finais são triste. E muitas vezes também me deparo com finais sem sentido , ou sem graça.Mais o gosto por livros tristes não quer dizer que somos assim , é só questão de gosto , nada mais.

bjs *

Cαmilα ♥ disse...

Li este livro e morri de chorar durante quase toda história.
Finais felizes me emocionam tanto quanto os nao tão felizes, pois um eu sei q acontece e o outro acende a esperança q pode acontecer.


Um beijoooO
;]

JÚLIA disse...

oi ! adorei seu blog >> depois da uma passada la no meu blog e se torna minhha seguidora (ja sou sua seguidora ):jujuplay.blogspot.com
bjooo!!

adenilson disse...

não enlouqueca....mesmo a ficção invadindo a realidade e vice versa.
a loucura é dominante mas é dominada.
e a tpm q é fogo na roupa mesmo
e sangue tbm..créédo..
=/
abraços
mardeto pc era pra atualizar na quarta...
mas tdo bm...ele ainda tá vivo
respirando por aparelhos mas está..
ótimo fds viow ?...
e cuidado, o gugu tá chegando ¬¬
hahahaa

www.bocadekabide.blogspot.com

Mitti disse...

ai menina já li livro assim que deixa a desejar no final ¬¬

mas diferente de vc eu so gosto de filmes e livros com final feliz

de problemas já bastam a minha realidade

e tpm??? eu fico irritadíssima...nossa

Jeannie D. disse...

Eu detesto finais tristes. Sempre que me indicam um filme bom eu já peço pra saber se o final é legal ou não...me mata por dentro me roer de ansiedade pra chegar na derradeira hora, o personagem acabar-se em si mesmo, confinado á algo terrível.
Na vida real, eu vi vários finais tristes, mas eu acredito que ficar pensando que tudo vai dar errado ou que a vida não presta não ajuda ninguém a superar nada...
TPM é só o começo hahaha, não é um final, então arrume um travesseiro pra dar uns socos e relaxa hehehe...

.: Juliana :. disse...

Sim, estou louca para saber que é para poder comprar as coisas. Ontem fiz meu 1º ultrassom e vi o baby, coisa mais fofa, pena que o sexo só com 4 meses, estou indo para o 3º.

Bom final de semana.

Bj!

railer disse...

a gente nunca chora por um motivo só.