25 de dezembro de 2010



Eram quatro e meia da manhã e lá estava eu, pensando em você. O copo de Coca estava cheio, os biscoitos ao lado da garrafa de Coca, a barriga calma, o sono estava fazendo sua ronda, mas o cérebro insistia em pensar em você, em imaginar como você estava, em saber se em mim você pensava. E num ato quase que involuntário anunciei que estava pensando em você, e sem respostas, sem certezas, e só com a dúvida, desisti. Enchi novamente o copo e voltei para a farsa, bebi como quem não se importava com a hora e apenas ofereci um brinde à vida e sorri.

8 Neurônios comentaram.:

Daniel Savio disse...

Realmente, tem saudades que não há como serem mortas tão facilmente, não quando falta alguém...

Fique com Deus, com Deus, menina Flavih Jones.
Um abraço.

Gabriela Castro disse...

Um brinde ao seu lindo post e ao novo ano que se aproxima. Muita saúde, paz e poesia em 2011. Beijos, querida

Keel Diniz disse...

Ficamos sem sentido quando pensamos em alguém que amamos..

Lindo post Flavih :*

Rafael Ayala disse...

Acredito que ela aceitou o brinde, bebeu e está até agora sorrindo.
=]

Hugo de Oliveira disse...

Um brinde assim vale a pena...

abraços
de luz e paz

.ana disse...

um pouco de paz é o mínimo necessário.
lindo teu post.
beijos!

URBAN.GO disse...

Post sentido.
Paz nunca é de mais e ... é sempre merecida.
Bjs.

Priscila Rôde disse...

O silêncio que cala, fala! Deixe o teu cansaço falar! Um beijo.